Notícias

Câmbio é muito mais do que a acompanhar a cotação do Dólar.

Quer estar por dentro da cotação do Dólar?
Quer saber quando cair a cotação do Euro?
Receba as cotações da Cambionet.

O preenchimento do nome é obrigatório

O preenchimento do email é obrigatório

27 de Janeiro 2016

Nossa Política de Responsabilidade Socioambiental

Em linha com as diretrizes da Política de Responsabilidade SocioambientalPRSA da Cambionet Corretora de Câmbio LTDA e atendendo as determinações da Resolução CMN nº 4.327/14, apresentamos o relatório referente as atividades, metodologia e o resultado da análise realizada no período de implantação desta Política no ano de 2015.

 

A Gestão Socioambiental na Cambionet abrange diversas atividades, tais como:

     Investimento no desenvolvimento e capacitação dos profissionais por meio de treinamentos e certificações;

     Observância e cumprimento da legislação que rege o assunto;

     Monitoramento dos clientes sob a ótica socioambiental;

     Emissão de Relatório Socioambiental;

     Adoção da “lista de exclusão”.

 

Lista de Atividades ou Empreendimentos sujeitas ao Licenciamento Ambiental 

Tais ramos da lista devem ser considerados quando da análise pela área de Riscos e Compliance, caso algum cliente, correspondente ou fornecedor se enquadrar em alguma atividade listada, deverá ser verificado se consta em algum envolvimento em processo ambiental.

 

Lista de Exclusão 

A adoção da lista de exclusão pela Cambionet significa não obter relacionamento contratual e ou relacionamento comercial e operacional em projetos ou organizações que agridam o meio ambiente e que estejam envolvidas com práticas trabalhistas ilegais ou, ainda, que produzam, comercializem determinados produtos, substâncias ou atividades consideradas nocivas à sociedade, evitando assim também o “Risco de Reputação”.

 

Metodologia do gerenciamento da Política de Responsabilidade Socioambiental 

No momento do cadastramento e aprovação do limite operacional de um cliente Permanente Pessoa Jurídica, na contratação de um correspondente e também de um fornecedor, a Área de Riscos / Compliance realizará:

1.    Pesquisa através da natureza de suas atividades, serviços e produtos verificando se constam na lista de Atividades ou Empreendimentos sujeitas ao licenciamento Ambiental da Política PRSA da Cambionet.

2.    Pesquisa se não há algum envolvimento em processo Socioambiental.

3.    Pesquisa se não constam em lista de Trabalho Escravo.

 

Grau de exposição e Risco Socioambiental.

A relevância e proporcionalidade representada pelo grau de exposição ao risco socioambiental das atividades, operações e produtos da Cambionet Corretora de Câmbio LTDA é considerada de baixo Risco devido a natureza de suas operações e da não concessão de crédito ou financiamento.

Quanto ao monitoramento realizado pelo perfil da atividade, serviços e produtos dos clientes, correspondentes e fornecedores através da lista de atividades sujeitas ao licenciamento ambiental, conforme previsto na Política interna da PRSA, da pesquisa sobre algum envolvimento em processo Socioambiental e na lista de Trabalho Escravo, não foi identificado algum registro a ser acrescentado à “Lista de “exclusão”.    

Os documentos com as evidências destas análises estão guardados e ficarão à disposição das Auditorias Interna, Externa e Banco Central conforme legislação vigente.

Desta forma, conclui-se que através deste trabalho realizado que a Cambionet adota seus controles conforme a legislação vigente, com um baixo grau de Risco e não havendo nenhuma perda associada a esta Política no ano verificado.

  

Divulgação

·      A divulgação externa das atividades da PRSA é realizada através do site corporativo da Cambionet.

·      A divulgação interna é realizada através de e-mail interno.

  

Rodrigo Kaschny Predebon
Diretor

 

02 de Maio 2014

Fora de circulação: notas de 50 libras com retrato de Sir John Houblon deixaram de valer em 30 de abril

No dia 30 de abril, as cédulas de 50 libras esterlinas com a imagem de Sir John Houblon foram retiradas de circulação por determinação do Bank of England,  

A partir de então, as cédulas com Matthew Boulton e James Watt, emitidas originalmente em 2011, serão as únicas cédulas de 50 libras esterlinas que continuarão com status de moeda corrente.

Atenção: O Bank of England continuará a trocar cédulas de 50 libras esterlinas com a imagem de Sir John Houblon depois de 30 de abril, como fariam para qualquer outra cédula sua que deixou de ter status de moeda corrente.

  Cédulas de 50 libras esterlinas saem de circulação

14 de Abril 2014

Feliz Páscoa!

05 de Fevereiro 2014

Notas de 50 libras com retrato de Sir John Houblon sairão de circulação

O Bank of England determinou que, a partir de 30 de abril de 2014, as cédulas de 50 libras esterlinas (GBP) com o retrato de Sir John Houblon serão retiradas de circulação.

Depois desta data, as cédulas de 50 libras esterlinas com Matthew Boulton e James Watt, emitidas originalmente em 2011, serão as únicas cédulas de 50 libras esterlinas que continuarão com status de moeda corrente.
O Bank of England continuará a trocar cédulas de 50 libras esterlinas com a imagem de Sir John Houblon depois de 30 de abril, como fariam para qualquer outra cédula sua que deixou de ter status de moeda corrente. 



Imagens notas 50 Libras Esterlinas

06 de Janeiro 2014

Finanças pessoais: IOF maior para cartões de débito e pré-pagos deixa turista com pouca alternativa para fugir do imposto

*Texto de Anna Carolina Papp e Luiz Guilherme Gerbelli, publicado em O Estado de S. Paulo - 30/12/2013


Analistas sugerem a diversificação do uso das modalidades de pagamento, mas avaliam que, por segurança, pré-pago ainda é melhor opçao.

O aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nos gastos no exterior com cartões de débito e pré-pagos, cheque de viagem e saques em moeda estrangeira deixou o turista brasileiro com poucas alternativas para escapar do imposto. Na sexta-feira, o governo elevou o IOF de 0,38% para 6,38% e equiparou essas modalidades de pagamentos à taxa do cartão de crédito.

Para especialistas, a medida deve estimular o uso do dinheiro em espécie. "O turista está começando a ser cercado. O cartão de débito, uma das poucas ferramentas que eram vantajosas, não tem mais muito sentido. O brasileiro tende a comprar dinheiro em espécie, que não é uma coisa muito legal", afirma André Massaro, consultor e educador financeiro.

Com dinheiro vivo, a viagem tende a ficar mais burocrática. O viajante terá de ficar atento às normas de cada país quanto ao ingresso de dinheiro em espécie e redobrar a atenção com a segurança. No caso brasileiro, o turista deve declarar para a Receita Federal toda vez que deixar ou entrar no País com quantia superior a R$ 10 mil em espécie, tanto em moeda nacional como estrangeira.

"O governo tenta segurar o gasto do turista porque sabe que está saindo muito dinheiro do País", afirma Fabio Colombo, administrador de investimentos.

De acordo com os dados do Banco Central, em novembro deste ano os brasileiros gastaram no exterior US$ 1,874 bilhão em viagens internacionais, o valor mais alto da história para o mês. No acumulado de 2013, os gastos fora do País somaram US$ 23,125 bilhões, acima dos US$ 20,244 bilhões verificados nos onze meses de 2012.

Diversificação. Na avaliação do educador financeiro Mauro Calil, mesmo com a nova tributação, o viajante deve fazer uso dos três meios de pagamento - crédito, débito e dinheiro -, porém, para situações diferentes. "O grosso deve ir no cartão pré-pago; o dinheiro é para usos corriqueiros, como o táxi e a gorjeta, e o cartão de crédito, para emergência", afirma.

"Com a equiparação da taxa dos cartões, se você iria levar R$ 500 ou R$ 1 mil, leve R$ 2 mil, R$ 2,5 mil. Mas sempre lembrando de ter muito cuidado e guardar o dinheiro em lugar seguro", orienta Calil.

Apesar de o cartão pré-pago ter perdido sua vantagem tributária, o educador financeiro ainda o considera a opção mais adequada para os turistas. Nessa modalidade de pagamento, o turista tem mais controle sobre o quanto pode gastar na viagem. "Com o pré-pago você consegue se organizar melhor, controlar seus gastos", afirma Calil.

Além disso, é possível "travar" o câmbio no momento de carregar o cartão.

"No caso do cartão de crédito, você só saberá a cotação no fechamento da fatura e pode ter surpresas - assim, ele continua com a função de emergência."

Neste ano, por exemplo, o dólar já subiu 14,52% em relação ao real, cotado a R$ 2,34 na sexta-feira.

11 de Julho 2013

Visa Travel Money: compras em Real ou na moeda local?

Fuja dos gastos desnecessário na sua viagem.

Em sua viagem você pode encontrar alguns lugares que oferecem a possibilidade de escolher em qual moeda será o pagamento no cartão. Você pode escolher entre a moeda local ou a moeda brasileira (o Real).

Na maioria das máquinas essa opção é exibida na própria tela e você pode optar pela moeda desejada. Em outras, como locadoras de veículos, por exemplo, o estabelecimento entrega o contrato da compra e nele consta que o cliente concorda em efetuar o pagamento em REAIS.  

Mas, fique atento! Ao aceitar o pagamento em Reais, você aceita a taxa de conversão do lojista, sem qualquer intervenção da Visa, do distribuidor, Banco Rendimento ou Agillitas como emissora do cartão. Isso significa que você pode pagar uma taxa mais alta e gerar um custo adicional à sua viagem.

Recomendamos que você escolha sempre a moeda local quando usar seu cartão Rendimento Visa TravelMoney, para não acabar passando da conta nos gastos sem perceber.
  
 

07 de Junho 2013

Cambionet chega ao Praia de Belas Shopping

A Cambionet inaugurou, em maio de 2013, sua sexta loja. O câmbio simples, prático e seguro da Cambionet que já estava presente no Moinhos Shopping (com duas lojas!), no Shopping Iguatemi, no centro de Porto Alegre e em Caxias do sul, agora está também no Praia de Belas Shopping. Para conhecer todos os nossos endereços, acesse a página lojas.

 

Loja da Cambionet no Praia de Belas Shopping, em Porto Alegre